quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Minha mãe tá chegando!

Depois de quase dois anos aqui minha mãe tomou coragem e está vindo conhecer a Incredible India. Ela passará três semanas aqui para conhecer o Bafodão e também vamos aproveitar um feriado na primeira semana de Novembro para conhecer Delhi, Agra (Taj Mahal) e Jaipur. Depois disso ela já volta para o Brasil com a Barbara.
Está chegando a hora de ir embora, mas a despedida eu deixo pra mais tarde. Agora tenho que dormir porque amanhã acordo as 5:30am para pegar minha mãe no aeroporto.

sábado, 9 de outubro de 2010

Quanto tempo vai demorar para a Skol fazer uma long neck assim?

Incline a cabeça para esquerda e assista...
video

Desafiador - Foda - Bom

Essas são minhas respostas quando me perguntam o que acho de morar na Índia, o que acho de morar em Baroda e o que acho de trabalhar aqui.
Morar aqui é desafiador, em todos os sentidos. Não posso falar muito da Índia em si, já que conheço apenas Goa e Baroda (indo para Delhi, Agra e Jaipur no início do mês que vem). Mas posso falar da grande diferença cultural que existe entre nós, do ocidente, e os indianos. A maneira de se vestir, se portar, de se comunicar e se entender são totalmente distintos. Aqui passo grande parte do meu tempo tentando entender, fazendo testes e observando qual a melhor maneira de se atingir resultados.
Morar em Baroda é foda. Daí o apelido de Bafodão. Aqui é considerado uma cidade pequena – apesar de seus 1,5 milhão de habitantes – em um dos estados mais conservador, mais religioso, mais vegetariano da Índia. Tive contato com estrangeiros, inclusive brasileiros, que vivem em outros lugares da Índia e, apesar de também não ser fácil, eles têm inegáveis vantagens. O fato de você poder comprar carne e cerveja no supermercado e até mesmo pedir isso em restaurantes, o fato de ter um transporte público um pouco mais organizado e taxis (aqui em Baroda só riquixá e eles sempre querem colocar preço – mais caro para estrangeiros – na viagem invés de ligar o taxímetro) faz com que a vida seja mais fácil.
Trabalhar aqui é bom. Muito legal, de verdade. Tem seus momentos de estresse, lógico, mas normalmente são passageiros. Aqui se tem uma oportunidade única de começar praticamente do zero, já que as práticas industriais aqui, principalmente de gerenciamento, são muito imaturas. Você pode testar várias coisas, de ferramentas à abordagens, e acompanhar sua evolução. Mas não deixa de ser cansativo.
Sempre digo que tenho um prazo de validade aqui na Índia. Ficar aqui mais de três meses faz meu nível de estresse subir. Nessa mistura de Índia, Bafodão e trabalho, o esforço mental para se adaptar é constante e é isso que cansa. Quando tenho férias quero sumir daqui, voltar para o ocidente e interagir com pessoas com cultura mais parecida com a nossa.